Resenha: Claro que te amo

CLARO QUE TE AMO!

Autor(a): Tammy Luciano
Páginas: 
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013 

Piera tem certeza: está cometendo a maior loucura da sua vida ao assistir, escondida, ao casamento de seu ex-noivo. Depois de seis anos de relacionamento, entrar de penetra na comemoração foi tudo que André deixou para ela. E olhar a cena não a faz feliz, mas encerra uma fase de sua vida. Hora de recomeçar. Mas como recomeçar se seu coração está cheio de dor? Envolver-se com a história de Piera é como descobrir que sempre há um lado muito bom a ser revelado… Mesmo que tudo pareça tão difícil.

Um ano após o rompimento de uma relação de seis anos, Piera vai ao casamento de seu ex-noivo, e não sabe bem o por quê. Talvez por gostar de sofrer; ou pra finalizar algo que ainda não tinha acabado. Mas lá está ela, escondida de tudo e de todos, vendo seu ex entrar na igreja ao lado de outra pessoa. Despedaçada pelo que acabara de assistir ela conta com a ajuda e palavras de suas amigas e seu pai para voltar a se reerguer. E ela está quase melhorando quando ela descobre que sua mãe, que lhe abandonou quando ainda era neném, está de volta ao Rio de Janeiro em uma clínica de reabilitação e quer vê-la. Uma situação nada fácil, mas além de seu pai e as amigas, ela irá contar com o apoio de mais uma pessoa super especial: o filho do dono da clínica, que é simplesmente O médico. Lindo, charmoso, educado, um bom partido, e o melhor: está interessado nela. Mas será que Piera está preparada para voltar a se envolver com outra pessoa, principalmente agora com problemas do passado vindo à tona?

Eu sempre admirei o trabalho da Tammy, gosto muito da autora, muito simpática e torço muito pelo trabalho dela, mas infelizmente este é o segundo livro dela que eu leio e que não caiu muito bem no meu gosto. O livro começou ótimo, gostei do modo como a Tammy relatou os minutos que Piera foi lá espionar o casamento de seu ex, aquela coisa tipo a música Speak now da Taylor Swift. Logo de cara já deu pra perceber que ouve uma melhora bem significativa de um livro para o outro, esse está mais maduro e as cenas melhores descritas, começou muito bem. Isso tudo apesar de eu ter achado um tanto exagerado a Piera ainda sentir alguma coisa pelo traste do André depois de um ano de separação. Vida que segue, filha. Mas, enfim, o livro começou ótimo, mas aos poucos fui sentindo que as coisas começaram a desandar e ele foi ficando cansativo, pois os diálogos não apareciam. Eu sou uma pessoa que não gosta de livros com poucos diálogos, acho que eles melhoram e muito uma história, deixa ela mais dinâmica e rápida, por isso não sou fã de livros de auto-ajuda, e o que eu percebi lendo os dois livros da autora é que ela é ótima pra isso, algumas passagens possuem conselhos que podemos tomar pra nós mesmos leitores, trechos pra ler e refletir. No entanto eu acho que os diálogos não são o forte da autora. O pouco do diálogo presente não me foi convincente, tive um pouco de dificuldade pra engolí-los, achei-os um pouco forçados, com frases que pareciam provérbios ou coisa do tipo.
E pra fechar eu acho que a Tammy devia mudar um pouco o jeito de narrar a história. Foi uma coisa que eu percebi e que vi que muita gente tem destacado em suas resenhas, é que a autora foca muito no que a personagem tá pensando, a gente tem muito a visão de dentro da cabeça da Piera, mas não diz muito o que está rolando em volta dela, as reações dos outros personagens. É muito cansativo ler a todo o momento os sentimentos de um personagem, se torna até meio repetitivo; a Piera estava lá a todo tempo dizendo o quanto o André a fez sofrer, o quanto ela sentia-se magoada, e blá blá blá, as mesmas coisas sempre. Acho que foi esse um dos motivos que não me deixaram gostar do tal do médico, o Marcelo, que se apaixona por ela. Não deu muito pra conhecê-lo, pois as páginas ficavam presas nos sentimentos da Piera. Sem contar que nem da Piera eu gostei, achei ela muito certinha e imatura pra idade dela, principalmente pra alguém que pensa em construir uma vida ao lado de outra pessoa. Tinha horas que dava vontade de dar umas chacoalhadas nela pra ver se ela deixava de ser tão burra. Pra falar a verdade eu não fui muito com a cara de nenhum dos personagens, achei todos meio clichês e perfeitinhos demais.
O final também não me agradou. Ao contrário do final surpreendente de Garota Replay, em Claro que eu te amo senti um pouco de falta de algo mais impactante.
Mas é aquele negócio, não é possível agradar a todos. A história não agradou a mim, porém agradou a outros. Tem muitas críticas boas no skoob também, por isso recomendo você a ler e tirar suas próprias conclusões. ;)

Deixe seu comentário na parede do Toalete!
0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...