Resenha: Amada imortal

Título: Amada imortal - Volume 1
Autor(a): Cate Tiernan
Páginas: 280
Ano: 2012
Editora: Galera Record

Primeiro livro de bem-sucedida trilogia, mistura fantasia sobre imortais a uma história moderna de jovem em busca de si mesma e de redenção. Questões de identidade e moralidade aparecem na trama, protagonizada pela imortal Nastasya. Nascida em 1551, acostumada a beber e sair para baladas cada vez mais loucas, ela perdeu o rumo. Suas conexões com outros imortais, interessados apenas em suas habilidades mágicas, a fazem partir em busca de um propósito. E o encontra em uma espécie de clínica de reabilitação para os de sua espécie, onde conhece um pouco mais sobre o próprio passado e cria importantes laços para o futuro.

Amanda imortal, o primeiro livro de uma triologia da autora Cate Tiernan, foi lançado ontem na Bienal de São Paulo pela editora Galera Record. A editora vinha apostando nele como seu mais novo sucesso, e esta não errou ao apostar nisso, pois o livro tem tudo pra isso. O livro traz o tema sobrenatural de volta às prateleiras. Ok, desde quando este saiu de lá, né? rs Mesmo assim, vale muito a pena ler Amada imortal, pois tem um Q diferente dos outros livros, apesar de alguns clichês, e a história é bem interessante.

Nastasya tem apenas 18 anos. Bom, pelo menos só na aparência, pois na verdade, na verdade, ela tem mais de quatrocentos anos. Isso porque, como o próprio título na capa do livro diz, ela é imortal. E não é a única. Há imortais espalhados pelo mundo inteiro. Nasty vive com seus amigos imortais em Londres, desfrutando de uma vida "emocionante", regada de muita curtição durante as noitadas. Porém Nasty nunca foi feliz de verdade. Mesmo vivendo rodeada de seus velhos amigos. Mesmo tendo uma vida confortável e sem preocupações. Mesmo indo a festas quase todos os dias.
Ela se dá conta disso quando em uma de suas noites de curtições, seu melhor amigo resolve usar magicka - você não achou que existiriam imortais e só, né? Eles tinham que ter algum poder - para ferir outra pessoa. Nasty fica assustadíssima com o ocorrido, - ela e seus amigos sempre foram indiferentes ao que acontecia com os humanos normais, mas daí a machucar um deles??? - que parece não ter assustado mais ninguém já que os outros amigos agem como se nem tivessem visto, mas não ela, que sente a necessidade de fugir, pois alguma coisa estava diferente no olhar de seu amigo Incy, ele já não era mais o mesmo, e poderia descobrir seu segredo, algo que ela guarda a sete chaves dentro de si. E é nesse clima de fuga e redenção, quando Nasty acorda pra vida e percebe que aquele não é modo como ela quer continuar vivendo, nem mesmo ao lado daquelas pessoas que apesar dela gostar agem muita das vezes de forma errada, que ela decide viajar pra longe, muito longe, e vai parar em Massachusetts, nos EUA, sem deixar recados e pistas a respeito de seu paradeiro. Nasty sai em busca de uma antiga imortal com quem se deparou uma vez, há muito tempo atrás, a qual ofereceu-lhe ajuda. E lá se depara com um deus Vicking, imortal assim como ela, a quem não lhe é estranho, e de quem ela irá receber muitas patadas sem saber o por quê. River, a mulher que lhe ofereceu abrigo uma vez, mora em uma espécie de fazenda que funciona como um local de reabilitação, onde os imortais vão lá pra aprender um pouco mais sobre seu poder, usá-lo para o bem, e meio que "se encontrar". É tipo uma escola para imortais, quase um hogwarts, como a própria personagem compara, só que sem toda aquelas coisas fascinantes e máginas ao redor, nem mesmo um castelo. rs
O que mais eu posso dizer é que, o que Nasty estava esperando de começo: encontrar um lugar pra pensar e desacansar longe de seus velhos amigos, não acontece bem assim, pois ela vai ver que ali em seu novo lar ela vai precisar seguir as regras da casa, e ralar, como há muito tempo não tem precisado, para ter o que comer, por exemplo. E que não vai ser nada fácil conviver com certas pessoas.
Amada imortal foi daqueles livros que comecei a ler e gostei, mas que com o tempo fui largando de mão, a história não conseguia prender mais a minha atenção e eu lia, lia, lia várias páginas sem me apegar aos detalhes, eu ficava totalmente dispersa e comecei a ler mais rápido pra acabar logo. Maaaaaaaas, houve uma reviravolta lá pra página cento e alguma coisa - por que é sempre assim???? Será algum problema comigo??? Bom, não sei dizer -.
Depois disso a história começou a ficar interessante, passei a gostar mais da personagem, e até rir com as sátiras dela, passei a olhar o livro com outros olhos, e até o Vicking ficou mais interessante. Foi quando comecei a ler a história com gosto, atenta a cada detalhe, e a cada página que passava, mas eu ficava descontente porque o livro ia acabar e eu queria mais, muito mais. Sem contar que eu voltava do trabalho doida pra pegar no livro e saber o que ia acontecer com a história de onde eu parei. E essa triologia se tornou uma das minhas favoritas assim, de uma hora pra outra.
Eu não sei se o problema foi comigo, ultimamente isso tem acontecido bastante. Não sei se é por causa do tema sobrenatural, se estou um tanto saturada disso, e por esse motivo cada livro novo que eu pego pra ler começa morno e vai se tornando melhor na medida que vou lendo. Eu realmente não tenho uma explicação... mas creio que seja por causa do tema mesmo, pois tenho apreciado mais histórias comuns.
Mas deixando isso pra trás, só tenho que recomendar a vocês Amada imortal. Eu só não gostei muito do final. Não, a autora não correu com o final como acontece com muitos livros, até porque se trata de uma triologia, então não tem pra que ela correr já que no próximo tem muito mais, mas foi daqueles finais que você se pergunta "cadê o resto????". Eu exijo saber o que vai acontecer depois daquilo tudo!!! A autora não poderia deixar nós leitores desse jeito, sem explicações. Logo quando a coisa tava ficando boa??? rs. Sério, Galera Record, eu necessito do próximo livro pra já! :)
Outras coisas que eu preciso falar é que:
O livro não tem nada de bobinho. Confesso que a personagem algumas vezes é enjoada - mas tem o por quê disso -, mas tá longe de ser uma Bella da vida - Foi mal, Bella Swan -, pois Nasty é bastante ousada, sem papas na língua.
E a autora também ousa em descrever algumas cenas, principalmente nas que envolvem morte. Talvez isso não agrade algumas pessoas.
É só gente, leia, e me contem o que acharam!!! Vamos compartilhar opiniões enquanto não chega a sequência? \o/

Triologia Amada imortal:
1. Amada imortal
2. Darkness Falls
3. Eternally Yours (Previsto para Novembro de 2012 - EUA)

Nota:

Deixaram recados na parede do Toalete:
4 comentários:

  1. Quando vejo Vol.1 no início de uma resenha onde a capa já me interessou logo penso, minha lista vai aumentar com mais uma série.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é ótimo, recomendo também :)

    ResponderExcluir
  3. Achei o livro bem legal e estou super ansiosa para ler! Adorei =D

    ResponderExcluir
  4. A capa desse livro é linda!
    Estou doida para ler!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...