Resenha: Qual seu número?

Simplesmente hilário, esta é a palavra mais adequada para definir este livro. Recebi ele da Editora Novo Conceito e estava com medinho de começar a lê-lo, até porque li algumas pessoas dizendo que ele era muito clichê. Tá, ele é clichê sim, mas eu dei boas gargalhadas com ele.
Meu nome é Delilah Darling. Tenho 29 anos. Sou solteira, e, bem... sou uma mulher fácil.
Pronto, falei. Sou fácil. Sou mesmo. Agora você sabe. 

A história é narrada por Delilah, a personagem principal, que está desesperada com uma matéria que diz que em média as pessoas tem até 10,5 parceiros sexuais. O que é um verdadeiro espanto para ela ao se dar conta de que até o momento já teve 19 parceiros, quase o dobro estipulado pela reportagem. Desesperada, ela decide não transar com mais ninguém, e deixar o número 20 para seu futuro marido. Mas isso não dá muito certo. Seu plano vai por água abaixo quando perde o seu tão amado emprego - calma, eu sei que não tem nada a ver ficar desempregada com sexo, mas você vai me entender mais pra frente -. Como se isso não fosse nada, ela ainda tem que enfrentar o noivado da sua irmã, ao qual sua mãe cisma que ela está com inveja por ser a irmã mais velha solteirona, e aturar os olhares de piedade das amigas da mãe, como se ela fosse digna de pena por ver sua irmã mais nova prestes a casar e não ter ninguém. Mas mesmo com esses julgamentos, Delilah não sente nada disso, e está feliz com o casamento da irmã, mas tudo em que ela pensa em fazer durante o noivado é em se mandar e encher a cara junto com os outros 25% dos funcionários que foram cortados da empresa. E é o que ela faz depois de receber um olhar de piedade de uma das amigas fofoqueiras de sua mãe ao vê-la com vários chocolates na mão - que ela passa a comer para substituir o sexo -. Mas se ela soubesse o que lhe aconteceria ao beber além da conta...
Ao acordar, Delilah fica desesperada ao constatar que não só preencheu o 20º lugar reservado ao seu futuro marido, como também com a última pessoa com quem queria ir pra cama: seu ex-chefe, aquele que a demitiu depois de assegurar a ela e aos outros funcionários que a demissão em massa não passava de um boato, aquele que uma vez roubou sua idéia para receber elogios da dona da empresa, aquele que ela tinha horror e que ficava parecendo um oito com o cinto apertado na cintura.
Decidida, Delilah faz um plano - além daquele anterior de não transar mais -: ir atrás dos seus antigos parceiros sexuais e re-conhecê-los, afinal, as pessoas mudam, e talvez seus exs tenham mudado para melhor, e transar com eles não a faria uma vadia já que não estaria aumentando sua lista. E para reencontrá-los, ela vai contar com a ajuda de seu vizinho gostosão cujo pai é um detetive.
Já dá pra ter uma noção que muita coisa engraçada vai rolar nesses reencontros, né?
Você pergunta: Qual número, exatamente, é considerado alto para uma mulher da minha idade? Bem, é difícil dizer, porque as pessoas raramente são sinceras a respeito de seus números. E isso não é nenhum segredo. Os homens geralmente o aumentam, acreditando que, se as pessoas pensarem que eles dormiram com 40 mulheres, mesmo que só tenham dormido com quatro, vai parecer que eles são garanhões mais bem-sucedidos do que realmente são. As mulheres, por outros lado, geralmente diminuem o número, deixando de fora os homens que elas gostariam de esquecer. Você sabe: os que elas conheceram em um fim de semana de folga, os dois que eram irmãos e os três que hoje em dia são gays.
Eu admito: sou tão culpada quanto qualquer pessoa quando o assunto é manipular o número. Inclusive, meu número muda, dependendo da pessoa com quem eu estou conversando. Por exemplo, todos os meus namorados pensam que meu número está em torno de uns quatro. Meu ginecologista acha que o meu número está por volta dos sete, e que eu sempre fiz sexo seguro, é claro. Minha mãe, mesmo que eu prefira não falar sobre sexo com ela, acha que meu número é algo em torno de dois. Até mesmo minha melhor amiga acha que meu número é um pouco mais baixo do que é na realidade, porque ninguém - repito, ninguém - conta todos os detalhes da sua vida para a melhor amiga.
Livro ótimo! Pra quem curte comédia romântica, este aqui é perfeito. Só aviso àqueles que já assistiu ao filme antes de ler de que não deixe se enganar. Eu assisti um bom pedaço do filme e não chega nem aos pés da história do livro, que é muito melhor. Acho que a atriz é perfeita para o papel da personagem, mas fiquei muito triste com as alterações desnecessárias para a adaptação do filme. A história do livro era suficientemente boa e não precisava disso. :/
Mas voltando a falar do livro... eu dei boas gargalhadas com a Delilah, e tive vontade de chacoalhá-la muita das vezes enquanto embarcava em busca dos ex-namorados, quando todo tempo o homem perfeito estava bem ali, seu vizinho maravilhoso e engraçado. Eu dei boas risadas com o Colin, o vizinho. Ele é bem sarcástico, e muito melhor que o personagem do filme que é mó galinha. O Colin do livro é fofo. :P

Eu gostei de tudo neste livro, desde os personagens, até o cuidado que a editora teve na sua edição. A edição está muito perfeita. Os capítulos sempre começam com alguma anotação da personagem, mensagens na secretária eletrônica, ou trajeto que ela irá fazer de onde ela está até o seu destino. O livro tem até rodapé, com explicações de algumas citações da história, e também da própria Delilah abrangendo a explicação de alguma situação. Muito perfeito.
E nas cenas em que ela vai atrás dos ex, há flashbacks, além de claro, o tão esperado reencontro de "como será que estão eles atualmente?". Tudo o que eu esperava das cenas, teve. 
E volto a repetir, apesar de clichê - oras, com quem você acha que a personagerm principal vai ficar no final???? Hehe -, o livro é muito engraçado, tenho certeza que você vai rir muito, assim como eu ri - paguei o maior mico no trem rindo de uma cena do livro. -, e vai se apaixonar pelo Colin. *____* O livro é enooooorme, mas você vai ver que não vai durar nem uma semana lendo de tão bom, além das letras serem grandes, muitas das páginas são gravuras, como eu especifiquei acima. E com certeza você irá se surpreender e se identificar com a personagem, mesmo ela sendo uma louca. rs Principalmente no gosto musical. Enquanto ela embarca em busca dos ex namorados, ela cita alguns trechos de músicas dos anos 90, algumas muito conhecidas, como por exemplo, das Spice Girls.
Só não recomendo o livro para os menores de idade, por ter alguns trechos meio pesados. Se você não se sentir desconfortável com cenas desse tipo, vai fundo. ;)
Espero que a Novo Conceito traga outros livros da autora pro Brasil \o/

Título: Qual é o seu número?
Autora: Karyn Bosnak 
Páginas: 422
Editora: Novo Conceito
Ano: 2011
Preço: 29,90 
(Mas na Saraiva e na Siciliano está por 18,30).
Nota:

Capas internacionais....




Deixaram recados na parede do Toalete:
2 comentários:

  1. Quero muito, muito mesmo ler esse livro!
    Parece ser super engraçado e divertido.
    Espero que o meu exemplar chegue logo para eu poder desfrutar dessa leitura.
    Vi o trailer do filme e tbm achei hilário!
    Tenho que assistir depois de ler, com certeza!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Não me interessei muito pelo livro. Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...