Resenha: O guardião de memórias de Kim Edwards

O Guardião de memórias é o livro que irei falar hoje. Foi um livro que eu escolhi resenhar depois de ler sua sinopse. Porém, quando este chegou em minha casa, fui pesquisar no skoob a respeito das opiniões do pessoal, ver a nota que deram a ele, e confesso que fiquei com receio, pois haviam algumas críticas negativas, uma em especial que dizia que o livro era meio poético me deixou temerosa. Mas mesmo assim, fui na coragem e o peguei pra ler. E, gente, confie em mim, o livro é maravilhoso. Sim, a autora adora dar detalhes demais a cada coisa, mas é tão bonito, e não tem nada de tedioso nisso, pois se fosse eu já teria abandonado a muito tempo. rs

A história do livro gira em torno de um casal, Norah e David, que são felizes e apaixonados. E também de Caroline, que virá a fazer parte dela mais tarde.
Norah está prestes a dar a luz ao primeiro filho do casal, e ambos estão radiante com a chegada da criança, e na expectativa do sexo do bebê. David é um cirurgião muito ocupado, mas nem por isso deixa de ser um marido atencioso. É inverno de 1964, e ainda não está na hora, mas Norah começa a entrar em trabalho de parto. David rapidamente liga para seus amigos de trabalho pedindo ajuda e leva Norah para a clínica. Ao chegar no local eles são recebidos pela enfermeira Caroline que os informa que o amigo de David sofrera um acidente na pista cheia de neve e não poderia ir até lá para fazer o parto de sua esposa. Então com a ajuda de Caroline, ele mesmo decide fazer o parto. E tudo ocorre bem, exceto quando sua esposa sente novas contrações após dar a luz do esperado filho, dando logo em seguida a luz a uma segunda criança, que David logo reconhece como uma criança portadora da síndrome de down. David não para muito pra pensar. Atormentado pelo seu passado, onde sua irmã morrera tão jovem por ter nascido com problemas cardiácos, e indo contra todos os valores morais, David aproveita que a esposa está adormecida e não viu nada, e pede que a enfermeira leve a criança para um asilo, e quando a esposa acorda ele lhe dá a notícia de que tiveram gêmeos, mas sem coragem de contar o que tinha feito, diz que a menina morreu no parto. Enquanto isso, Caroline leva a criança para o endereço que David havia lhe dado, surpresa e bastante decepcionada por David ter tomado essa decisão, sem nem ter deixado a esposa conhecer a filha, logo o médico por quem ela sempre teve grande admiração, até mesmo uma paixão secreta, que nem era tão secreta assim, pois estava na cara dela.
Mas ao chegar no endereço, ela simplesmente não consegue fazer o que lhe foi mandado, e decide ela mesma cuidar daquela criança frágil e indefesa como se fosse sua, em outra cidade. Após esse dia, a vida desses personagens nunca mais serão as mesmas. Caroline irá desistir de sua carreira e sonho para se dedicar integralmente àquela criança especial, com todo amor e carinho, lutando a vida inteira pelos direitos da menina. E o casal, antes tão feliz, será separado pelo segredo que David guarda em seu íntimo, o consumindo, fazendo-o se afastar da familia e passar grande parte de seu tempo trabalhando na clínica ou em seu novo projeto, no quarto escuro construído em cima da garagem onde passava o tempo revelando fotografias, ou lendo as cartas enviadas por Caroline contando sobre sua filha. E Norah, que não consegue parar de pensar em sua filha "morta", sentindo a distância do marido, passa a viver uma nova vida, independente, e a cometer o adultério. E no meio de tudo isso está Paul, o filho do casal, que sofre por não ter atenção dos pais. 
Um livro expetacular. É daqueles que você pega pra ler e se prende em cada página, deixando de lê-lo só quando este termina. Com uma história emocionante e envolvente, é impossível você não se apegar ao livro e aos seus personagens. O livro nos faz refletir sobre nossas ações, e nos faz ver o quanto nosssa vida é curta, e que certas coisas pequenininhas que fazemos de errado pode se tornar imensas com o passar dos anos.
Não tenho palavras para dizer o que eu realmente senti acompanhando o passar dos anos da vida dos personagens. No começo fiquei chocada com a atitude de David, mas depois só conseguia sentir pena. Pena por ver que ele tinha se arrependido de dar a filha, por ver que ele queria contar à esposa, mas não era algo fácil de se revelar, por ele saber que está sendo traído, mas mesmo assim não impedir que Norah continue com isso, como uma espécie de penitência por ter separado ela de sua filha, entre outras coisas. E você não sente só por David, mas também pela Norah e por Paul, principalmente no final do livro quando temos aí o reencontro deles com a Phoebe que está viva, vivendo com Caroline. É realmente uma situação complicada porque apesar de Phoebe ser uma garota inteligente, por causa da síndrome de down, ela não compreende totalmente algumas coisas, como por exemplo, que Norah é sua mãe verdade, e que Paul é seu irmão. Uma situação bem delicada.
Eu não poderia deixar de falar também de Caroline, uma mulher forte e batalhadora que nos cativa com seu jeito. Adorava os capítulos sobre como ela e Phoebe estavam vivendo. E a Phoebe é uma graça, gente. *__* 
Livro excelente. Virou meu xodó! Eu recomendo demais a todos.

Título: O guardião de memórias
Páginas: 368
Autor: Kim Edwards
Ano: 2007
Editora: Sextante 
Preço: 39,90 
Nota:

Capa original

O livro também possui sua adaptação cinematográfica. Estava contando a história pra Glaucia quando ela disse "Ei, eu já vi esse filme", e começou a contar o que vinha depois. Pesquisei e achei o trailer dele no Youtube. Mas pelo que eu pude ver o filme é bem diferente do livro. O filme é de 2008, e como no livro a história se passa em 1964. O Henry é interpretado pelo charmoso Dermot Mulroney.


Deixaram recados na parede do Toalete:
7 comentários:

  1. Tô com uma super vontade de ler esse livro *-*
    Adorei a resenha, Ka!

    :*
    Mi
    Inteiramente Diva

    ResponderExcluir
  2. Nossa, a capa que você mostrou inicial me lembrou na hora do livro A Cabana que eu não consegui acabar de ler de tão ruim.rsrsrsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não consegui terminar...rs

      Excluir
  3. Procurei por resenhas a respeito desse livro e acabei conhecendo o blog de vcs...tb tenho um blog e terminei a resenha agora para postar amanhã, esse livro me comoveu de tamanha forma que devo dizer que fico feliz de saber que quem a resenhou tb se sentiu assim, incomodada com a atitude a principio mas depois com pena do médico que a cometeu,
    um livro lindo, para ser lido e sentido

    parabéns pela resenha
    bjos
    Raffa Fustagno
    http://livrosminhaterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Eu escuto falar bem do livro e do autor, mas não sei, não sinto interesse nenhum na história, mesmo com todas as opiniões positivas que vejo...

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir
  5. Mi, o livro é ótimo!
    Greice, eu nunca li a Cabana, e nem tenho vontade de ler He he, apesar de dizerem que é bom, posso me surpreender. Mas esse livro é muito bom, pode confiar.
    Raffa, então somos duas!!! É muito bom achar pessoas com a mesma opinião sobre um livro. Não estou sozinha nessa!! \o/
    Kel, quando puder ler, leia. Talvez você se surpreenda. Pelo que eu vejo no It cultura, o seu gosto é parecido com o meu. :D Então vai gostar, sim!

    ResponderExcluir
  6. Ao contrário da sua opinião...eu gostei do livro sim, mas não achei nem um pouco envolvente.Ao contrário, demorei muito pra terminar, tinha vontade de fazer tudo, menos lê-lo. Terminei por teimosia.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...