Glimmerglass: O encontro de dois mundos

Nome: Glimmerglass: O encontro de dois mundos
Série: Faeriewalker
Autora: Jenna Black
Páginas: 294
Editora: Universo dos livros
Ano: 2011
Preço: 39,90
Dana Hathaway ainda não sabe, mas vai acabar se metendo em apuros quando decide que é a hora de fugir de casa para encontrar seu misterioso pai na cidade de Avalon: o único lugar na Terra onde o mundo real e o mágico se cruzam. No entanto, assim que Dana põe os pés em Avalon, tudo começa a dar errado, pois ela não é uma adolescente comum – ela é uma faeriewalker, um indivíduo raro que pode viajar entre os dois mundos e a única pessoa que pode levar magia ao mundo humano e tecnologia a cidade de Faerie. . Não demora muito e Dana envolve-se no jogo implacável da política do mundo da magia. Alguém está tentando matá-la, e todos parecem querer alguma coisa dela, desde seus novos amigos e da família até Ethan, o lindo garoto com poderes fantásticos com quem Dana acha que nunca terá uma chance… Até ter uma. Presa entre esses dois mundos, Dana não sabe bem onde se encaixa ou em quem pode confiar, muito menos se sua vida um dia voltará a ser normal.

Dana é uma adolescente, mas nunca pôde viver como tal. Em sua casa os papéis foram invertidos, tendo ela que cuidar da mãe alcoolatra. Tudo o que ela queria era um pouco de sossego, uma vida nova, deixar de ter que ser sempre a responsável por tudo, aturar as bebedeiras de sua mãe, estar sempre mudando de colégio e de lugar, e não ter que passar vergonha na frente de seus amigos por causa do estado lamentável de sua mãe. Ela vê uma única saída em seu pai, ao qual ela nunca conheceu e de qual sua mãe dizia ter fugido assim que ficou grávida, e que não era uma boa pessoa. Mas talvez sua mãe só dissesse aquilo para desencorajá-la a nunca procurá-lo. Pensando nisso, Dana decide dar um basta naquela situação em que estava vivendo, e decide procurar por seu pai.
Às vezes, ela dizia ter fugido de Avalon porque meu pai era um homem terrível e maligno que certamente abusaria de mim de maneiras horrendas se eu morasse com ele. Essa era a história que ela contava quando estava sóbria, a inventada para certificar-se de que eu nunca me interessaria em encontrá-lo. "Ele é um monstro, Dana", ela dizia, explicando por que tínhamos de nos mudar mais uma vez. "Não posso permitir que ele encontre você".
Não foi difícil encontrá-lo na internet, principalmente por sua mãe ter deixado escapar algumas vezes que o pai dela não era alguém simples, e sim algum tipo de mandachuva do mundo das fadas. Após consultar a lista telefônica pela internet, ela finalmente consegue contactar seu pai que imediatamente pede para ela visitá-lo em Avalon, "a cidade selvagem que era a encruzilhada entre o nosso mundo e Faerie, a cidade onde a magia e a tecnologia coexistiam no que se assemelhava a algum tipo de paz".
Egoísta ou não, Dana não pensa duas vezes e depois de fazer as malas vai embora pra Inglaterra - onde está situada a cidade de Avalon - deixando apenas um bilhete para trás pra quando sua mãe acordasse de mais uma ressaca soubesse que ela estava bem. Mas as coisas não começam bem como Dana imaginava. Primeiro, o rapaz que seu pai havia dito que a esperaria no aeroporto não aparece, e segundo, ao dar seu próprio jeito pegando um táxi para chegar até à cidade, ela tem um encontro conturbado com sua tia que ela nem sabia que tinha, e ainda descobre que seu pai está preso.
Após a promessa que seu pai deixaria a prisão em pouco tempo, sua tia oferece estadia em sua casa. E quando justamente Dana pensava em descansar da viagem e pôr a mente no lugar, sua tia cheia de boa vontade à tranca em um quarto de hóspedes, se relevando não ser a moça boazinha que aparentava. Apesar de confusa e com raiva, ela acaba acreditando em Grace - irmã de seu pai - quando esta diz que está apenas tentando protegê-la, pois a vida de Dana corre perigo agora que todos sabem de sua presença em Avalon.
- Meu irmão foi... insensato em trazê-la pra cá.
- O quê?
- Você corre perigo. Nossa família tem muito poder e influência. Agora que Seamus a reconheceu como filha e a trouxe para cá, há facções que podem vê-la como uma arma a ser usada para controlá-lo. Alguém deve ter me visto trazendo-a para cá. Fui atacada enquanto destrancava a porta de entrada. Tive sorte por ter telefonado para Lachlan e ele estar a caminho. Ele os afugentou antes que conseguissem provocar mais danos. Isso, no entanto, prova que eu estava certa: você não está segura aqui.
- Que tal se você me deixar voltar para Londres? Posso ficar num hotel e esperar até que papai esteja fora... quero dizer, disponível. Dessa forma não estarei impondo minha presença e...
Ela balançou a cabeça.
- Os dois homens que me atacaram eram humanos. Não sei pra quem trabalham, contudo, poderiam segui-la com facilidade até Londres. Não. Temos de levá-la a um local mais seguro, pelo menos até que Seamus seja libertado.
Convencida por Grace de que estaria segura se aceitasse sua ajuda, Dana aceita ficar presa em uma espécie de porão. Quem visse de fora juraria que ela estava sendo feita de prisioneira, dentro de um quartinho parecido com uma cela - porém com uma cama confortável -, e sob a vigilância de Lachlan, amigo de sua tia; mas de acordo com Grace aquilo era tudo para segurança de sua sobrinha até que seu pai saísse da prisão.
E finalmente, quando Dana já está conformada com o plano de aguardar naquele lugar enquanto seu pai não vem, eis que aparecem duas pessoas no meio daquela mesma noite para raptá-la. Essas pessoas são: Ethan e Kimber, dois irmãos Faerie que alegam estar apenas salvando Dana das garras de sua tia que está apenas usando-a para ganhar o cargo de Cônsul de Avalon, ao qual seu pai também disputa. E assim Dana vai descobrir que é mais especial do que possa imaginar.
Dana: - Quem são vocês e onde estão me levando?
Ethan: - Nós a estamos levando para um lugar em que esteja a salvo de Grace Stuart.
Dana: - Ah, bom, e ela estava me mantendo presa para me salvar de uma horda de inimigos que queria meu sangue. Não acreditei nela, tampouco acredito em você.
Ethan: - Não posso culpá-la por isso. Peço desculpas pelos nossos métodos, porém, se tivéssemos nos demorado explicando tudo, Lachlan teria recobrado a consciência muito antes de termos terminado.
Dana: - Vamos fazer de conta que acredito em você. Por que estão "me ajudando"? Como sabem quem eu sou? Como descobriram onde me encontrar?
Ethan: - Uma pergunta de cada vez! Tanto seu pai quanto sua tia têm esperanças de serem escolhidos como Cônsul, quando o mandato do atual chegar ao fim. Aquele que estiver com você tem maiores chances de ser o escolhido.
Dana: - O quê?  Por quê?
Ethan: - Terei de explicar isso mais tarde. Mas vou explicar, prometo. De qualquer modo, respondendo a sua perguntar de por que eu e Kimber estamos te ajudando, preferimos que Grace Stuart não seja Cônsul. Ela é uma das candidatas mais bem cotadas, e ter você ao lado dela cimentaria a sua vitória.
Complicado, não é? Em quem ela deve acreditar? Em quem você acreditaria? Como acreditar em pessoas que você nunca viu na sua vida? E é isso que acompanhamos ao longo do livro, as dúvidas de Dana em quem acreditar, e por que ela é tão importante assim pra estarem atrás dela? A autora escreve numa intensidade que você sente o mesmo que Dana, é como se o livro estivesse lendo seus pensamentos. Tinha vezes que eu ficava chocada com alguma coisa e daqui a pouco lá estava justamente o que eu estava pensando, a mesma sensação, a mesma coisa que eu faria se fosse comigo. Acho que Dana e eu pensamos parecido. rs Só posso adiantar que nada é o que parece, tem muito lobo em pele de cordeiro querendo conquistar a confiança dela, além do mistério envolvendo a si mesma. 
O mais legal desse livro é que você descobre junto com a Dana as coisas em Avalon, os habitantes, a cidade, etc. Assim como a personagem você fica o tempo todo confusa, sem saber o que é real ou irreal, quem está falando a verdade ou não. É como um livro de suspense. Eu devo dizer que não confiava em ninguém até que se provasse o contrário. rs Suspeitei de todo mundo mesmo, e achei o final meio que óbvio demais, mas eu tenho certeza que não é só aquilo, aquela pessoa não é a única "vilã" da história. Acho que no próximo livro muito mais coisas irão ser desvendadas. Tenho o pé atrás com algumas pessoas ainda. rs
Eu basicamente gostei da história, achei a Dana uma personagem legal com algumas tiradas divertidas, também gostei do Ethan, apesar do cabelo grande He he, e eles dois tiveram momentos fofos, cof cof, olha o Spoiler, maaaas, eu achei a história um tanto parada. Acho que esse foi o ponto fraco de tudo. A história poderia ter sido melhor, a autora tinha tudo pra escrever um ótimo livro, porém achei que ela não explorou tanto o mundo de Avalon, as cenas ficaram presas naquela mesma coisa, nos mesmos ambientes, quase nada acontecia, principalmente de surpreendente. Eu sinceramente esperava por mais. Mas é aceitável já que este é o primeiro livro, e a ficção é em torno de um mundo novo, das fadas, é o ínicio de tudo, muita coisa pra se apresentar ao leitor. Acho que agora já deu pra entrarmos nesse mundo novo, e no próximo livro da série as coisas devem andar mais. Assim eu espero, já que a trama é interessante, só faltou mesmo um pouquinho mais de ação.

Nota: 

Série Faeriewalker: 
  • Glimmerglass
  • Shadowspell
  • Sirensong
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 
Compartilhe também a sua opinião com os futuros leitores do livro.

O que você achou deste livro?

Deixaram recados na parede do Toalete:
10 comentários:

  1. O livro me ganhou pela capa. Adoro detalhes diferentes e os brilhos dessa são lindos demais.
    Gostei muito da sinopse também e a resenha só melhorou minha impressão. Adoro histórias relacionadas a Avalon (uma das minhas séries favoritas é Brumas de Avalon)... sei lá, lembrei de toda aquela magia, mistério e personagens fortes. Quero muito ler agora.
    Bjkas,

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  2. Oi Karina, estou louca para ler esse livro! >___<
    Mas estou num contrato de não comprar nada... #Mimimi
    Ótima resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é um xodozinho aqui! espero que todo mundo goste! :)

    ResponderExcluir
  4. Monique, realmente a capa é lindaaaa, cheia de brilhozinho, mt fofaaaa, e ameeei a cor dela, das abinhas! *___* Um amor!

    ResponderExcluir
  5. Oii

    Como a Monique esse livro me ganhou pela capa, criei uma baita expectativa, mas agora que li sua resenha (a primeira que leio desse livro) fiquei com um pé atras, acho melhor não esperar tanto do livro, se faltou ação, como você diz, é bom eu ir devagar, se não me empolgo demais e depois me decepciono! ahuahau

    Beijokas

    Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  6. Ai Ka, este livro eu compraria somente pela capa já. Acredita que quando eu olhei meu coração vibrou! óTima jogada de marketing!

    ResponderExcluir
  7. Oi Ka!

    Esse livro tem uma capa linda *-*
    Mas com a sua resenha fiquei meio "assim" pra ler, rs.
    Vamo ver!

    :*
    Mi
    Inteiramente Diva

    ResponderExcluir
  8. acho q como todas aqui a capa me conquistou primeiro, mas c eu ja estava com o pé atras com a sinopse, agora, com as resenhas q tenho lido acho q ñ lerei ele ñ.

    @dnisin

    ResponderExcluir
  9. Flor do campo, amei seu post,
    Amo seus comentários
    Tem sorteio kit sigma face no blog!
    Beijos cor de rosa
    Janaína Pereira
    Rosa & Pink by Jana
    _________________________________

    Blog : (www.rosaepinkbyjana.com)
    Twitter: @blogjanna

    ResponderExcluir
  10. A capa é linda, gente! Aliás, todas as capas da série são lindas!
    Tô participando de algumas promos pra ganhar esse livro. Não é meu gênero preferido, mas quero dar uma chance a ele. Vamos ver, se eu ganhar vou poder dizer o que acho dele, haha. Boa resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...