Os lobos de Mercy Falls: Espera

Se você não leu Calafrio, esta resenha contém spoiler!


Título: Espera
Série: Os lobos de Mercy Falls
Autor: Maggie Stiefwater
Páginas: 360
Editora: Agir
Ano: 2011
Preço: 39,90

Em Espera, Grace e Sam devem lutar para ficar em juntos. Para ela, isso significa desafiar seus pais e manter um segredo muito perigoso a respeito de seu próprio bem-estar. Para ele, isso significa lutar contra seu passado de lobisomem... e descobrir uma maneira de sobreviver no futuro. Adicione a essa mistura um novo lobo chamado Cole, cujo passado tem o potencial de destruir toda a matilha, e Isabelle, que já perdeu seu irmão para os lobos, e, apesar disso, se sente atraída por Cole. 
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Era uma vez uma garota chamada Grace Brisbane. Nada havia de muito especial ao seu respeito, salvo ser ótima com números, muito boa mentirosa e sentir-se em casa dentro das páginas de um livro. Ela amava todos os lobos que viviam atrás da sua casa, mas amava um deles mais que todos.
Esse lobo a amava também. Ele a amava tanto que mesmo as coisas que não eram especiais a seu respeito tornaram-se especiais...
Uma vida feita de promessas do que podia ser: as possiblidades contidas em um maço de formulários universitários, a excitação de dormir sob um teto desconhecido, o futuro que morava no sorriso de Sam.
Era uma vida que eu não queria abandonar.
Era uma vida que eu não queria esquecer.
Foi realmente uma espera - bem aflita por sinal - até eu finalmente ler esse livro. rsrs O livro foi lançado no começo do ano, mas só agora tive a oportunidade de lê-lo - agradeço a editora por me ceder um exemplar -. Antes de começar a ler, até mesmo antes do livro chegar, eu pesquisei por resenhas dele em alguns blogs, e posso dizer que me desanimei de lê-lo quando li uma em especial dizendo que o livro não era tão bom, até porque esta pessoa que fez a resenha tem o gosto parecido com o meu. Então pensei "Droga, então vou me decepcionar também". Mas eu me equivoquei. Agora que terminei de ler o livro quero urgentemente o próximo. Espera é tão bom quanto Calafrio. Só achei um pouco mais lento que o primeiro. Então pra você que não curtiu muito o desenrolar do primeiro, acho que este você irá gostar menos ainda. Mas apesar disso, eu gostei, e a série continua sendo uma das minhas preferidas. Confesso que quando comecer a ler Espera senti um pouco de falta de que alguma coisa acontecesse assim como no primeiro, onde tudo era novidade, e você não sabia o que viria na próxima página, e havia sempre mais alguma surpresa que te deixava ansiosa à espreita pela próxima. Nesse você já sabe da existência dos lobos, já sabe que eles aparentemente descobriram uma cura para a tal transformação indesejada, e Sam agora é um garoto normal. E você fica pensando que nada irá acontecer nas próximas páginas, a não ser esperar até que o livro acabe, e curtir aqueles momentos româniticos envolvendo o casal principal Sam e Grace. Mas é aí que você se engana. Logo nas primeiras páginas nós já conhecemos um outro lobo - um dos novos transformados por Beck -, seu nome é Cole, e ele é um antigo líder de uma antiga banda de sucesso chamado NARKOTIKA. Ah, sem contar que nesse livro nós temos a visão, não mais apenas de Sam e Grace, mas também do próprio Cole e da Isabel, lembram dela? A que perdeu o irmão, Jack, ao tentar curá-lo? Então, Isabel também é uma das personagens de grande destaque neste livro, e posso dizer até que ela e Cole ofuscaram um pouco o brilho do casal principal.
Antes de contar mais sobre a minha opinião, vamos saber o que você encontrará em Espera?
Bom, como vimos em Calafrio, Isabel conseguiu descobrir uma possível cura pra tal transformação que Sam e os outros lobos estavam destinados. Com Jack, irmão de Isabel, a solução não deu muito certo - o que acabou levando-o à morte -, mas Sam agora é um adolescente normal, e está muito feliz por ter se livrado de seu "fim" - já que aquele era o seu último ano na forma humana -. Agora ele pode dedicar sua vida à sua amada Grace e ao seu grande sonho: a música. Só que nem tudo está perfeito. Grace está muito doente; no início era apenas febre, mas os sintomas foram rapidamente se agravando, deixando-a cada vez mais fraca. Sam está alarmado, mesmo tentando desacreditar e ignorar a possível causa pra ela estar daquela maneira. Ele está disposto a ficar ao lado dela e ajudá-la, mas seus planos são interrompidos quando os pais de sua namorada - que até então viviam ausentes e neste livro passaram a não gostar da filha estar tão ligada a um garoto, fazendo questão de ficarem no pé dela - flagra ele - que até então dormia naquela casa às escondidas - no quarto dela no meio de uma madrugada em que Grace passa mal.
Ela se contorceu sob a minha mão e depois sentou-se de um salto na cama, o corpo volátil e trêmulo. Não a conhecia.
- Grace, fale comigo. - sussurrei, embora sussurrros soassem inúteis à luz do grito anterior.
Grace olhou para as próprias mãos com uma espécie de espanto. Encostei as costas da mão em sua testa. Ela estava absurdamente quente, mais quente do que jamais pensei que alguém pudesse ficar. Encostei as palmas das mãos em seu pescoço, e ela estremeceu como se fossem gelo. [...]
- Sonhei... Sonhei que me transformava. Achei que...
De repente, Grace soltou um grito terrível e se afastou de mim, envolvendo o próprio corpo com os braços. Eu não sabia o que fazer. Inclinei-me para ver seu rosto e, então, senti o cheiro. Ela cheirava a lobo.
Grace.
Com odor de lobo.
Não era possível. O cheiro devia ser meu. Rezei para que fosse meu.
Encostei o rosto em meu próprio ombro, cheirei. Levei a mão ao nariz, a mão que acabara de tocar a testa dela.
Lobo.
Meu coração parou. Então a porta se abriu, e a luz do corredor penetrou no quarto.
- Grace? - A voz do pai dela. A luz do quarto se acendeu e os olhos dele me encontraram sentado ao lado da filha. - Sam?
Sam  - Pag. 108 e 109
Como já era de se esperar, Sam é expulso daquela casa e proibido de ver Grace novamente. Mas quando se está apaixonado de verdade, nada, nem mesmo os pais dela, serão suficiente para separá-los. Porém, há ainda a doença de Grace que está cada vez mais grave, e o que Sam tanto temia pode estar pra acontecer.
Massss, apesar de tudo isso, esse drama envolvendo o casal principal, quem rouba mesmo a cena nas páginas do livro são Cole e Isabel. Cole, como eu disse mais acima, é um ex vocalista de uma banda de sucesso chamado Narkotika. Bonito e bem sarcástio, ele vai mexer com a cabeça de Isabel. E como. Ai, só de falar já me derreto. Sabe aquele romance do tipo "Te odeio" e no momento seguinte os dois estão se atracando no maior amasso? rsrs Adoro!!!
- Não se mexa.
Uma voz feminina me imobilizou. Não soava amedontrada, apesar de haver um homem nu no meio da casa, o que me fez imaginar que, provavelmente, havia um rifle apontado para as minhas costas. Me dei conta do ritmo normal da batidas do meu coração. Nossa, que falta me fazia essa adrenalina!
Virei-me.
Era uma garota. Sua beleza era de cortar o coração, com enormes olhos azuis parcialmente escondidos atrás de uma franja irregular de cabelo louro. Um meneio em seus ombros sugeriu que ela sabia direitinho o efeito que causava. Quando me olhou de alto a baixo, senti que estava sendo avaliado e reprovado.
Tentei sorrir.
- Oi. Desculpe, estou nu.
- Prazer. Meu nome é Isabel. O que está fazendo na minha casa?
Cole - Pag. 87 e 88
O trecho acima é do momento em que Cole e Isabel se encontram pela primeira vez. E o segundo é o momento do primeiro beijo entre os dois.
Jogando a camisa, o moletom e a camiseta na cama, ele se virou de lado para enfiar o jeans, que ficou meio folgado. Dava para ver o contorno dos ossos dos quadris fazendo sombra ao desaparecerem na cintura. Desviei rapidamente o olhar quando ele ficou de frente para mim, mas sabia que Cole me vira observando-o. Queria arrancar à unha aquela expressão presunçosa de seu rosto. Ele pegou a camiseta e, quando ela se desabotoou em suas mãos, vi que se tratava da camiseta dos Vikings favortida de Jack, com a barra do lado direito manchada pela tinta branca com que ele pintara a garagem no ano anterior. [...]
Cole esticou o braço acima da cabeça para vestí-la e, de repente, tudo em que pude pensar foi que não dava para aguentar ver alguém que não o meu irmão usando aquela camiseta. Sem pensar, agarrei um pedaço dela e Cole congelou, baixando os olhos pra mim com uma expressão vazia. Ou, quem sabe, meio confusa.
Puxei, indicando o que eu queria, e ainda com uma expressão vagamente curiosa, ele soltou, me deixando tirar a camiseta de suas mãos. Tendo recuperado a peça, eu não quis explicar o porquê de ter feito aquilo e por isso beijei Cole. Era mais fácil beijá-lo, pressionando seu corpo contra a parede, saboreando com os lábios o formato de seu riso zombeteiro, do que identificar por que a camiseta de Jack nas mãos de outro me deixou tão sensível e exposta por dentro.
E ele beijava bem. Senti sua barriga musculosa e suas costelas vindo de encontro a mim, ainda que suas mãos não se erguessem para me tocar. Assim, pertinho, ele cheirava a Sam na noite em que o conheci, aquele odor almiscarado de lobo e pinheiros. Notei uma certa sofreguidão no jeito como Cole colou sua boca na minha, o que me fez pensar que ele era mais real ali, me beijando, do que quando falava.
Quando me afastei, Cole ficou onde estava, encostado à parede, os dedos enfiados nos bolsos do jeans, cujo zíper ele ainda não puxara, e a cabeça inclinada para um lado, me estudando. Meu coração batia disparado no peito e minhas mãos tremiam com o esforço para não tornar a beijá-lo, mas ele não parecia desconcertado. Pude ver como seu pulso batia lenta e regularmente através da pele do abdome.
O fato de ele não se mostrar tão tenso quanto eu me enfureceu de imediato, e então eu recuei um passo e atirei a camiseta de Jack para ele. Cole esticou o braço para pegá-la segundo depois que ela ricocheteou em seu peito.
- Ruim assim? - Indagou ele.
- Foi. - Respondi, cruzando os braços para aquietá-los. - Como se você estivesse tentando morder uma maçã.
Suas sobrancelhas se ergueram como se ele soubesse que eu mentia.
- Revanche?
- Acho que não. - respondi. - Está na hora de você ir embora.
Os dois tem em comum muito mais do que pensam; são amargurados por situações do passado. Enquanto Isabel se culpa pela morte do irmão, Cole esconde atrás de seu jeito durão do tipo não-me-importo-com-ninguém um rapaz deprimido procurando uma fuga, das piores maneiras possíveis, de segredos de qual não se orgulha de sua antiga vida de Rock Star, que vão se revelando no decorrer da história.
Outros fatos que vão sendo revelados neste livro são a respeito do passado de Sam. Nós sabemos mais sobre o dia em que os pais tentaram matá-lo, e também um pouco mais sobre a vida dele ao lado dos outros lobos.
Lembram que no primeiro livro havia alguns trechinhos de músicas compostas por Sam? Neste também tem, várias, muito legais.
Preciso dizer mais alguma coisa? A minha opinião é essa: leia! Tem romance pra todos os gostos, desde aquela coisa fofa e melosa até àquela paixão louca do tipo Roberta e Diego de Rebelde. A leitura é gostosa e leve. Se você está pensando em dar uma relaxada, ler algo fofo, engraçado, emocionante, que te deixe com um sorriso bobo nos lábios, e com a maior vontade de ler o próximo livro, #ficaadica!
E posso dizer uma coisa? Ufa! Finalmente um livro sobrenatural em que não há um triângulo amoroso. :P

Nota: 

Quanto à capa, houve uma grande repercussão por causa disso, já que antes a editora criou uma diferente da orginial, e agora resolveu publicar o segundo como a capa verdadeira. Eu no começo não gostei, porque gostei tanto da primeira que tinha neve e um lobinho, eu adoro neve, mas agora que tive o livro em mãos, posso dizer que adoro esta também. Só ficou diferente do primeiro, né? Quem tem uma estante, deve ficar estranho um ao lado do outro por serem diferentes.
3º livro da série. Lançamento previsto para Julho desse ano.

Não achei um booktrailer pro segundo livro, portanto irei postar aqui o do terceiro. Ah, e fuçando o Youtube eu descobri só agora que vai haver um filme da série! *_____* Que lindo!

Deixaram recados na parede do Toalete:
6 comentários:

  1. Olha, Mi, o final desse livro é bem triste, assim como esse booktrailer. Dá vontade de chorar, imagina quando eu ler. Quero muito.
    Espera é mtttt booooooooom, eu ameeei! rsrs

    ResponderExcluir
  2. adoro diego e roberta hihihi
    preciso urgentemente ler essa série >___<

    ResponderExcluir
  3. Li Calafrio e amei!
    Ainda não tive a oportunidade de ler Espera :/
    E como você falou, também tô me sentindo desanimada devido as resenhas que tenho lido D:
    Dá pra perceber que será angustiante :/

    MAAAS sua resenha me acalmou bastante, rs.
    Espero poder ler logo, logo!

    P.S: Acho os Book Trailers dessa série tão meigos! *-*

    =* meninas

    Mi
    Inteiramente Diva

    ResponderExcluir
  4. eu também li uma resenha ruim sobre esse livro, agora fiquei mais confiante para comprar. Adorei as quotes.

    ResponderExcluir
  5. Olha, Mi, o final desse livro é bem triste, assim como esse booktrailer. Dá vontade de chorar, imagina quando eu ler. Quero muito.
    Espera é mtttt booooooooom, eu ameeei! rsrs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...