Conto antigo...

Desculpem a falta de criatividade pelo conto não ter um título. Sempre fui péssima pra criar algum. rsrs
Este conto é bem antigo, então não me julguem muito, ok? He he Podem notar que tem até disquete no meio da história, pois é, beeeem velhinho. Eu estava procurando pelas folhas de fichário da época da faculdade pra estudar quando o encontrei no meio das tralhas, reli e achei tão legalzinho que resolvi postar. Esse conto eu escrevi em alguns minutos na mesa do bar do pai do meu amigo (ô memória de elefante), por isso está tão corrido (apesar de que contos são assim, né?), e foi pra um trabalho do meu namorado que ele nem chegou a entregar com vergonha. Vê se pode? rs 

Mais um dia como todos os outros, pensava Lindsay sempre ao acordar. Seus dias eram tão previsíveis; resumidos em: escola, à tarde curso, em seguida mais estudos em casa, e assim o dia terminava. Os dias eram sempre os mesmos. A única coisa que a alegrava era ficar no MSN, onde conversava com seu "admirador". Lindsay acessava a internet quando acabava seus estudos e corria para o e-mail, onde procurava mensagens do até então desconhecido "coração solitário". mas isso quando ele não estava on-line para conversarem.
Os dois se falavam há 2 anos e meio, trocavam várias confidências, mas nunca se encontraram, pois Lindsay nunca quisera. Ela colocava seus estudos sempre em 1º lugar, e não queria começar uma relação no momento. Ela dedicava seu tempo aos livros, pois queria muito passar para uma faculdade de jornalismo em São Paulo ao qual o colégio estava oferecendo uma bolsa de estudos para uma única pessoa. Lindsay queria ser como as outras meninas, e poder sair, paquerar, namorar, mas essa oportunidade era única; tudo o que ela mais queria. O máximo que ela fazia fora os estudos era conversar todas as noites com seu "coração solitário".

O tempo foi passando, e mais um dia de colégio chegou. Quando ela saia de casa notou um movimento na casa da frente que até então estava à venda. Do lado de fora avistou um garoto tirando coisas de um carro e carregando em direção a casa. Por um momento ela ficou paralisada observando-o, só se ligou quando o menino lhe deu bom dia. Ela o cumprimentou também e saiu depressa em direção ao ponto de ônibus.
No dia seguinte no colégio, uma surpresa: o menino da casa da frente estava no colégio em que estudava, e em sua sala. No começo ela ficou um pouco contente por isso, mas depois suas esperanças dele ser um carinha maneiro acabaram quando com o tempo ele foi se juntando com o pessoal da "patotinha", onde só ficavam meninas patricinhas e os meninos mais bonitos da classe, que por fim não gostavam nem um pouco dela. Houve um dia em que ela estava passando por eles no corredor do colégio quando começaram a chamá-la de nerd e esquisitinha. Daí em diante ela não olhou mais para o seu vizinho da frente, nem ao menos respondera mais aos seus cumprimentos.
O "coração solitário" havia sumido totalmente da internet. Não lhe mandava mais e-mails, nem ao menos estivera on-line no MSN. Todos os dias Lindsay verificava sua caixa de entrada a procura de mensagens dele, e nada. O final do ano estava chegando, e a prova para a bolsa de estudos da faculdade em São Paulo também, portanto, as inscrições foram abertas. Lindsay estava preenchendo o formulário de inscrição quando o tal do vizinho apareceu. No início ele ficou apenas observando-a, talvez por não ter coragem de falar com ela depois do que aconteceu no corredor do colégio, mas logo depois ele se aproximou e puxou assunto; disse que também iria fazer a prova e que precisava de ajuda com a matéria, pois entrou no colégio dois meses depois das aulas começarem. Lindsay acabou aceitando ajudá-lo, e após o cursinho ela foi pra casa dele para estudarem. Na hora que eles pararam para um lanche, os dois começaram a conversar, e nesta conversa ele pediu desculpas a ela pelos outros garotos. Lindsay disse que estava acostumada com aquilo; só por ela ser inteligente e gostar de estudar eles a discriminavam.
Ficaram bastante tempo conversando, e ela acabou gostando dele mais do que ela imaginava que iria gostar. Ela descobriu que ele não era o tal "idiota" que ela pensava que ele fosse, pelo contrário, ele era uma pessoa super divertida, simpática e também inteligente, do tipo que ela admirava.
Papo vai, papo vem, ele pediu licença  e foi levar a louça suja para a cozinha, mas na volta os dois continuariam a conversa de onde tinham parado: faculdade jornalismo. Enquanto ele não vinha, ela sorria como uma boba sozinha no quarto dele. Tinha mesmo gostado dele. Ela ficou observando a sua volta cada detalhe daquele quarto quando viu que havia um texto em aberto no notebook dele que estava ao seu lado. Ela bem curiosa do jeito que era, foi ler. No começo recuou, pois seria uma invasão de privacidade, mas decidiu que provavelmente o que leria não seria nada demais, senão não estaria ali exposto. Ela começou a ler e percebeu que era um e-mail de desculpas, por ele não ter mais respondido as mensagens de uma tal pessoa. Foi quando ela olhou o endereço de e-mail dele, e ela se deu conta de que ele e o tal do "coração solitário" eram as mesmas pessoas.
Lindsay, nervosa, recolheu suas coisas da cama, e tacou-as em sua mochila às pressas. Não podia mais continuar ali depois daquilo. Ela desceu rapidamente, encontrando com ele na escada. Ela mal se despediu e saiu correndo da casa dele direto pra sua, deixando-o sem entender o que havia acontecido. Quando ele entrou em seu quarto, encontrou um disquete sobre a cama. Ele inseriu o dispositivo em seu notebook e começou a explorá-lo. O disquete era de Lindsay. Havia uma pasta nele chamada "E-mails". Ele abriu e leu o documento que continha todos os e-mails que ele havia escrito para uma tal Lindsay. Lindsay! Ele correu para a casa dela e quando ela abriu a porta ele devolveu o disquete dela, e disse que havia descoberto que ela era a tal menina com quem ele conversava há quase três anos pela internet. Ela pediu desculpas pelo jeito de como saiu da casa dele, e explicou que ao descobrir a verdade ficou nervosa. Os dois ficaram conversando por horas, acharam muita coincidência terem se encontrado daquela maneira.
Após a descoberta, eles passaram a ficar muito tempo juntos. E o inevitável aconteceu, eles começaram a namorar. Lindsay estava muito feliz; apesar de estar namorando, isto não atrapalhava seus estudos, ela sabia dividir as coisas. Claro que estar ao lado dele eram os melhores momentos de sua vida.
O dia da tão esperada prova chegou, e depois o resultado. Enfim todos os seus esforços foram recompensados. Lindsay passou na prova com a melhor nota de todo o colégio, 9.8; e seu futuro estava quase que totalmente garantido.
Ao contrário do que Lindsay esperava, esse foi o dia mais difícil de todos. Ela conseguiu o que tanto queria, estudara o ano inteiro, se dedicara muito para ter aquela resposta positiva, mas também tinha que deixar alguém que a amava, e que ela amava também. Ela não podia perder aquela chance. Mas ela o amava. O que escolher?
Mesmo sendo difícil ela optou pelos estudos; e mesmo à distância, os dois continuaram a se falar, como nos velhos tempos, pela internet trocavam várias declarações de amor.
Só que dessa vez não deu muito certo. Como já era de se esperar, as coisas foram ficando mornas com o passar do tempo; tinham rotinas diferentes, vidas diferentes em lugares diferentes, e os dois quase não se falavam mais. E todo aquele amor que um dia sentiram um pelo outro se acabou... 

FIM

Eu ri muito desse final, gente, vocês não tem idéia. Não por causa do drama em geral, mas porque antigamente quando postava minhas fics o povo ficava revoltado comigo, pois eu sempre escrevia finais tristes. Mas eu explicava que não eram tristes, eram reais. Agora boba do jeito que eu sou, só escrevo finais felizes. ai ai... rsrs
Espero que tenham gostado... Se bem que o texto não está muito bom não, mas...
Só pra descontrair mesmo.
bjs!

Deixaram recados na parede do Toalete:
8 comentários:

  1. Ahhhhhhhhhhh eu ainda não tinha lido esse conto!!! Que fofo!! Corrido sim, mas fofo. Pena que seus finais são sempre tãaaaaaao tristes... e os meus sempre tãooo felizes!! kkkkkkkkkkkk
    Adorei!!!!!

    Bjusssssss
    http://viciadospelaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Você não vale, vc me acompanha desde o segundo grau kkkkk
    EU amo os seus tb!!!
    bjsss

    ResponderExcluir
  3. ''Se bem que o texto não está muito bom não''? [aaaa] claro que está bom.
    Eu simplismente amei! Tá super legal.
    Bejs*;

    ResponderExcluir
  4. kkkk Eu sou muito curiosa e li tudo!
    Sua louca!! Como você faz isso com o final? Hein hein? kkkkkkkk
    Como sempre realista... Eu já estava pensado que você ia inventar que o garoto também ganhou a bolsa hauahauh
    Eu gostei desse conto, mesmo sendo depressivo e melodramático no final hauahau
    Mas que trabalho era esse?

    ResponderExcluir
  5. Era pra escrever um conto romântico kkkk
    Eu escrevi oras, mas ele ficou com vergonha e nem entregou. XD

    ResponderExcluir
  6. Caracaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
    Realmente é o estilo de texto que nós gostamos de escrever mas honestamente? Ds livros que tenho lido é bem o estilo que você escreveeeeee! Eu ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!
    Adorei toda a descrição que você e mesmo que rapidamente foi tão bonitinha porque parece aquele conto de fadas que na verdade acaba sendo uma realidade nossa, a de não ser sempre aquela coisa linda e bela...
    AMEIIIIII

    ResponderExcluir
  7. horrível esse conto o meu e melhor

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...