Nove minutos com Blanda

Título: Nove minutos com Blanda
Autor(a): Fernanda França
Editora: Multifoco
Páginas: 211
Preço: 35,00
Compre já!
Ótimo panorama. A minha mãe e a minha sogra planejavam o meu casamento, eu nem sequer sabia se o meu namorado queria se casar comigo e eu não parava de pensar em um cara cujo nome eu desconhecia. Naquele momento, pensei: “Sou a pior espécie de mulher que já existiu, mas não posso desistir de mim mesma, senão estou perdida”. Decidi dar uma chance para o que é real e tentar esquecer a história de cinema com o gerente de banco que era baterista. Até porque história de cinema é escrita para cinema e só acontece no cinema. Seria diferente comigo?

Simplesmente me apaixonei por esse livro. Eu não queria apenas nove minutos com Blanda, mas sim mais um dia inteiro lendo essa história engraçadíssima e maravilhosa! Quando eu fui ao evento em que a Fernanda França estava presente, e a ouvi falar sobre seu livro, fiquei muito interessada. Fui em algumas livrarias, mas não encontrei o livro, então apenas marquei no Skoob como desejado, pra quem sabe um dia comprar. Na internet eu não tinha como comprar, pois não tenho cartão. :/ Daí uma leitora aqui do blog quis trocá-lo por um outro livro que eu tinha. Foi minha primeira troca pelo Skoob! Adorei esse negócio de trocar livros e tô pensando em fazer mais vezes.
Sobre o título do livro, eu imaginei muitas coisas, mas nada a ver com o que realmente é. O significado é até engraçado. Eu ouvi a Fernanda explicar no dia do evento, e no livro também explica sobre isso. 
Um dos piores barulhos que alguém pode ouvir na vida é o de um despertador. Primeiro porque não é um som e sim uma tortutra aos ouvidos e como o seu nome já revela, ele é um cruel desperta-dor. Chego a sentir o meu coração palpitar quando acordo assim, antes das 8h da manhã. Nenhum ser humano deveria ter que acordar antes desse horário. Mas durante a maior parte da minha vida eu não me enquadrei nessa categoria, de forma que quando o barulhento me infernizava, o céu costumava estar escuro.
Pior é que naquela manhã eu havia dormido no sofá e não levei o relógio para a sala. Quando o barulho me acordou, deve ter despertado também os vizinhos. Saí correndo em direção ao TRIM-TRIM e me joguei na cama, com a esperança de merecer mais nove minutos de descanso. Nove minutos e não dez, porque esse imcompreensíveis são todos iguais e não permitem que nosso sono se estenda nem por dez minutinhos a mais. Só que eu sempre fui invencível. Eu o desligo quantas vezes foram necessárias e, assim, acabo sempre ganhando umas três consequências de nove se acordo de manhã. 
A Blanda é muito parecida comigo. Ela tem 24 anos, está desempregada, e se formou em Direito só pra fazer a vontade de sua mãe, que achava que o que ela gostava - pintar - não daria futuro. E ela tem um gato muito fofo e engraçadinho que lembra muito o Malhado, meu gato, só que no caso da Blanda, o gato se chama Freddy Krueger. Se eu conhecesse a Fernanda, eu diria que ela se baseou em mim para descrever a personagem. rsrs. Brincadeira.
Tudo na vida de Blanda começa a mudar a partir do dia em que ela precisa ir ao banco pagar uma conta. Lá ela acaba se irritando com a porta giratória que a faz pagar aquele mico, ao alarmar toda vez que ela tentava entrar. O segurança do banco decide revistar a bolsa dela, fazendo-a ficar ainda mais envergonhada ao ver suas coisas sendo exibidas pra todo mundo ver, como por exemplo, uma calcinha rosa-choque de babadinho que sempre carregava consigo pro casa de precisar.  Logo após o vexame, surge o gerente do banco, um rapaz lindo - que é de muita importância na história do livro -, para ajudá-la com a conta.
No entanto, nem em tudo nós somos parecidas. Blanda tem um namorido pra lá de insuportável, que some e reaparece sem dar notícias, dorme na casa dela, e volta a sumir no dia seguinte deixando apenas rastros de sua permanência - leia-se sujeira - pela casa. A mãe dela é doida pra que ela se case com esse rapaz, o Max, mas os dois já estavam há um bom tempo juntos, e ele nunca a apresentara a sua família. E isso só vem a acontecer depois da Blanda chantageá-lo. Finalmente ela conhece seus sogros, mas as coisas só se complicam quando a mãe dela e a mãe de Max começam a falar de casamento, e sem que ela ou ele concordem com a idéia, as duas começam a organizar tudo; a mãe do Max até começa a visitar alguns salões pra festa. Mas quem não está muito satisfeita com isso tudo é a Blanda, ainda mais depois que outro rapaz começa a mexer com a sua cabeça, lembra do gerente do banco? Pois é, eu disse que ele era importante na história. Mas para a surpresa dela, Max parece estar louco pra que o casamento aconteça, e se torna até atensioso com ela, como no começo do romance, deixando-a dividida entre pular fora ou continuar naquela relação. 
Vou confessar que eu não esperava que fosse gostar tanto assim do livro como eu gostei. Simplesmente o melhor Chick-lit brasileiro que eu li até agora. Fiquei tão empolgada com o livro que quero ler todos os próximos projetos da autora. A personagem principal é muuuuiiiiito engraçada. Você ri horrores com ela. Só não gostei de uma coisa, e espero que a autora não fique chateada se ler a resenha, que é a capa. Eu sempre gostei de capas de livro, e é um dos impulsos que me levam a comprar um livro. Eu achava que a capa fosse melhorzinha, mas pessoalmente não gostei nada nada. É engraçadinha, com o gatinho rindo, mas não diz muito sobre a história. Eu me lembro que há muito tempo vi uma promoção do livro em um blog e achei que o livro fosse infantil, justamente por causa da capa. Quem olha pra ela não diz que é um chick-lit. Por isso  que eu digo, nunca julgue um livro pela capa. Eu que julgo, quase sempre acabo em roubadas. rsrs
Livro recomendadíssimo! Uma história muito legal, que podia ser sobre mim ou sobre você, e com muito, mas muito humor. 

Nota:


Para saber sobre a autora, clique aqui.

Deixaram recados na parede do Toalete:
7 comentários:

  1. Ahhh que legal esse livro!! Adorei sua resenha, e realmente a personagem se parece com você! kkkk
    Todo o meu apoio aos autores brasileiros que estão arrasando por aí! =D

    Bjusss
    http://viciadospelaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Karina, como eu ficaria chateada com você? NUNCA! Eu adoro receber opiniões de leitores, é sempre muito bom e eu aprendo com vocês! Sua resenha me deixou emocionada e muito feliz (de verdade!) :õ) Saber que você riu e se envolveu com os personagens é muito bacana, porque minha maior alegria é saber que levei alegria com minhas palavras. Acho que você vai gostar do livro novo, prontinho, só aguarda editora ;o) Um superbeijo! Depois me mande um e-mail que te adiciono no meu mailing para receber informações sobre meus eventos e livros ;o) Alegrias, Fernanda França - contato@fernandafranca.com.br

    ResponderExcluir
  3. Já li e também me apaixonei. Uma história leve, simples, mas cativante!
    Concordo com você sobre a capa. Ela é muito sem gracinha pra uma história tão legal.

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Eu quero ler!! *_*
    Amei a resenha ^^
    Adoro romances, e que ótimo que esse é brasileiro!

    ResponderExcluir
  5. Adoro esse livro e adoro a Fernanda =D
    Não gosto mto da capa, acho que deixa de chamar atenção né?
    Mas adorei a resenha, concordo bastante!

    ResponderExcluir
  6. Eu ameeei este livro, eu li ele todo em um dia!!! rssrs. A história é envolvente, e apesar do "drama", a maneira de falar da personagem principal é mto engraçada, e contagiante. Eu não estou acostumada a ler nada, a não ser jornal(rs), e adoreei mesmo, fiquei viciada na leitura. SUPER RECOMENDO!!!! Parabéns Fernanda França!! Você arrasou!! rsrss.
    Espero ler outros livros seus!!!

    Bjoss!!!!

    ResponderExcluir
  7. Nossa! Depois dessa SUPER RESENHA, fiquei com uma MEGA curiosidade de ler o livro! :)
    Mês que vem eu compro, se sobrar dimdim...
    Beijinhos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...