Nove plantas do desejo e a flor de estufa

Título: Nove plantas do desejo e a flor de estufa
Autor: Margo Berwin
Editora: Intrínseca
Página: 248
Preço: 29,90
Compre já!

Romance de estreia de Margot Berwin, Nove plantas do desejo e a flor de estufa, teve os direitos cinematográficos adquiridos por Julia Roberts antes mesmo de seu lançamento.
A protagonista Lila Nova, redatora de uma agência de publicidade recupera-se de um divórcio doloroso quando percebe que sua vida é igual à sua casa: comum, nova e vazia. Mas quando conhece o belo vendedor de plantas, David Exley, um mundo todo novo se revela, e ela resolve abandonar seu “mantra pessoal” — nada de animais de estimação, nada de gente, nada de problemas —, descobre uma nova paixão, compartilhada pela autora: plantas.
Ela embarca numa viagem pelas florestas de Yucatán atrás de nove plantas místicas que trazem fama, fortuna, imortalidade e paixão. Sozinha na selva, é obrigada a aprender mais do que possa ter sonhado sobre si mesma. Uma empolgante viagem sobre  amor e autoconhecimento, Nove plantas do desejo e a flor de estufa alia mistério, aventura, e excitação, em todos os sentidos possíveis.


Lila Nova só queria recomeçar...
Conheci meu ex-marido no trabalho: bonitinho, inteligente, bem-sucedido... e um erro colossal. Ele era um homem que bebia como um gambá e queria um monte de filhos. Eu era uma mulher que não queria um monte de filhos e bebia como gente. Sei que casamentos, em sua maioria, são complexos e têm várias fases, mas o nosso não teve. Nosso casamento de quatro anos foi mais ou menos assim:
Ano um - "Eu te amo, Lila"
Ano dois - "Eu te amo, Lila"
Ano três - "Eu te amo, Lila"
Ano quatro - "Lila, vou te deixar para ficar com a produtora de agência de publicidade."
A produtora da agência, também conhecida como a mulher que levou café e reservava as passagens aéreas para ele. Que clichê! Na época me perguntei como uma coisa tão parecida com filme de tevê podia doer tanto.

Início do Livro - O livro começa bem. O jeito de escrever da autora é bem sarcástico, o que me fez continuar a leitura.
Lila é uma grande empresária, que foi trocada pelo marido por uma mulher mais nova. Tentando recomeçar, ela se muda para um novo apartamento em Nova Iorque, e decide que um pouco de verde ajudaria a colorir seu novo lar. É em um quiosque de plantas na feirinha da Union Square que ela conhece David Exley, o vendedor de plantas. Persuadida por Exley, ela leva pra casa uma ave-do-paraíso, e cuidar desta se torna seu mais novo Hobby, além de ser uma boa desculpa para volta e meia aparecer na barraquinha daquele vendedor interessante.
Isso foi uma coisa que totalmente me deixou aflita. O David parece aquele tipo de cara que não liga pra nada - nem mesmo pra própria aparência - e gosta de fumar um baseado. Mas ela vai fundo, e decide até pedir conselhos pro seu amigo Kody - que aliás, é bem engraçado e dá uns conselhos sempre confusos demais - que a convence a não desistir e ir lá chamar o cara pra sair. E ela vai. Sem coragem, acaba levando pra casa mais duas plantas e quando finalmente toma coragem pra chamá-lo pra um jantar, ele desmarca no dia seguinte.
Mas antes de acontecer esse convite pra jantar, Lila conhece Armand. Depois de um dia estressante no trabalho, ela decide dar um pulinho em seu bar preferido, mas no meio do caminho fica fascinada por uma planta diferente pendurada na vitrine de uma Laundromat bem inusitada, com vários tipo de flores em meio às máquinhas, como uma verdadeira campina. Armand é o dono dessa Laundromat. Ele é um cara bem estranho, e se eu fosse a Lila daria o fora da loja e não voltaria mais, mas por algum motivo, ela continuou lá conversando com ele. Ele dá uma muda da samambaia de fogo - a planta que a fez entrar na loja -, e promete que se ela conseguir enraizar aquela planta, ele vai mostrar pra ela o que tem atrás da porta nos fundos da loja, como se fosse uma espécie de teste. Nesse meio tempo ela vai conhecendo mais esse senhor estranho, e começa a gostar mais dele. Ela descobre que ele é uma pessoa de grande sabedoria, que dá conselhos aos clientes de sua Laundromat - e que por esse motivo esta só vive cheia -, e que atrás daquela porta tem nove plantas que são capazes de dar a pessoa tudo o que ela deseja como, amor, sabedoria, fortuna, etc.
Dias depois ela consegue fazer a muda enraizar e antes de mostrar o resultado pro Armand, ela decide consultar o hippie do Exley, e confirmar se aquela é realmente a raiz da samambaia-de-fogo ou se Armand tinha enganado-a. Exley confirma e diz que aquela se trata de uma planta muito valiosa e a indaga sobre onde ela comprou, e até oferece dinheiro por aquelas raízes, mas Lila não aceita, até ter uma idéia. Ela estava insatisfeita com seu emprego, e talvez fazer aquele negócio - pegar muda de graça com Armand e revender para Excley - fosse bem lucrativo. Os dois selam um trato e para comemorar decidem sair naquela noite. O encontro foi melhor do que ela imaginava. Excley foi perfeito com ela, e ela decide se abrir com ele e levá-lo até a Laundromat, onde estão as nove plantas do desejo. Ele fica maravilhado com o local, até mais do que ela ficou na primeira vez que o viu. Dali os dois vão pro apartamento dela e passam a noite juntos. Cinco dias se passam sem que Excley ligue para ela ou apareça em seu apartamento. Lila decide ir até a feira procurar por ele e descobre por outro feirante - que tomou o lugar dele - que ele tinha ido embora sem deixar pistas. Um pressentimento a faz ir até a Laundromat e lá tem a terrível descobrerta que esta foi saqueada, e as noves plantas do desejo roubadas; possivelmente por Excley, o homem em quem ela confiou o segredo de Armand, e que depois de passar a noite com ela, sumiu do mapa.  
Lila fica arrasada, principalmente por Armand, e tentando acabar com a culpa que carrega, decide ir com ele até uma ilha no México colher novas das noves plantas do desejo, o que a levará para uma grande aventura, onde conhecerá o verdadeiro amor, e irá se transformar em uma nova pessoa ao embarcar em um mundo cheio de aprendizado e magia.

Final do livro - Ficou bem legal e imprevisível. Gostei da última frase.

Agora sobre a minha opinião, eu gostei do livro apesar da história ter ficado meio louca a partir da metade. Mas é questão de você abrir a mente e deixar a história fluir. No méxico as coisas começam a melhorar quando ela conhece o Diego, um vizinho de Armand, mas mesmo assim as coisas loucas voltam a acontecer, coisas que te levam a pensar "a autora viajou na maionese" . O livro tem inúmeras partes de apologia às drogas; a autora nos faz achar que usá-las é uma coisa muito comum, principalmente lá nessa ilha no México, como se fosse uma expécie de remédio que os habitantes usam para relaxar um pouquinho. Então se você não gosta dessas coisas, é bom nem ler o livro. Eu também não gosto, e confesso que essas partes me irritaram um pouco, mas a história em si do livro me fez superar isso.
E é claro que eu recomendo o livro. Ele é muito engraçado, a autora escreve bem, tem muitas partes românticas, e tem uma história legal que mexe com as suas emoções. E você ainda aprende um monte de curiosidades no começo de cada capítulo, a maioria sobre plantas, muito legais. Adorei. Acho que apesar dos "contras" presentes nele, este não é um livro que você vá se arrepender de ler no final.

Nota:




Pessoas leram a resenha

Deixaram recados na parede do Toalete:
4 comentários:

  1. Ahhh achei o livro tão legal e doido...rs, acho que ele é bem diferente de tudo que já lemos... vale a pena ler =)

    Andy_Mon Petit Poison

    ResponderExcluir
  2. Hum super bacana, estou precisando encontrar um livro assimpra ler.

    Vou procurar.

    Bjks, Ro

    ResponderExcluir
  3. Interessante...
    Beijo
    Carol

    @carolgrtn

    ResponderExcluir
  4. Apesar dos contras, parece ser um livro legal. Vou tentar achá-lo ;D

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...