Pai, eu tenho distúrbio do sono atrasado!

Pois é gente, foi comprovado pelos neurologistas que quem dorme até meio-dia não é vagabundo, a maioria sofre de um distúrbio do sono atrasado.


Alvo de críticas de familiares e amigos, quem gosta de ficar na cama até a hora do almoço pode ter um motivo científico para a "vagabundagem": o distúrbio do sono atrasado. O assunto foi um dos temas abordados no 6º Congresso Brasileiro do Cérebro, Comportamento e Emoções, que aconteceu recentemente em Gramado.
O organismo humano tem um ciclo diário, de modo que os níveis hormonais e a temperatura do corpo se alteram ao longo do dia e da noite. Depois do almoço, por exemplo, o corpo trabalha para fazer a digestão e, conseqüentemente, a temperatura sobe, o que pode causar sonolência. 
Quando dormimos, a temperatura do corpo diminui e começamos a produzir hormônios de crescimento. Se dormirmos durante a noite, no escuro, produzimos também um hormônio específico chamado melatonina, responsável por comandar o ciclo do sono e fazer com que sua qualidade seja melhor, que seja mais profundo.
Pessoas vespertinas, que têm o hábito de ir para a cama durante a madrugada e dormir até o meio dia, por exemplo, só irão começar a produzir seus hormônios por volta das 5 da manhã. Isso fará com que tenham dificuldade de ir para a cama mais cedo no outro dia e, consequentemente, de acordar mais cedo. É um hábito que só tende a piorar, porque a pessoa vai procurar fazer suas atividades durante o final da tarde e a noite, quando tem mais energia.
O pesquisador Luciano Ribeiro Jr. da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), especialista em sono, explica que esse distúrbio pode ser genético: "Pessoas com o gene da ‘vespertilidade’ têm predisposição para serem vespertinas. É claro que fator social e educação também podem favorecer”. Mas não se sabe ainda até que ponto o comportamento social pode influenciar o problema.
A questão, na verdade, é que o vespertino não se encaixa na rotina que consideramos normal e acaba prejudicado em muitos aspectos. O problema surge na infância. A criança prefere estudar durante a tarde e não consegue praticar muitas atividades de manhã. Na adolescência, a doença é acentuada, uma vez que os jovens tendem a sair à noite e dormir até tarde com mais frequência.
A característica vira um problema quando persiste na fase adulta. “O vespertino é aquele que já saiu da adolescência. Pessoas acima de 20 anos de idade que não conseguem se acostumar ao ritmo de vida que a maioria está acostumada”, diz Luciano. Segundo ele, cerca de 5% da população sofre do transtorno da fase atrasada do sono em diferentes graus e apenas uma pequena parcela acaba se adaptando à rotina contemporânea.
O pesquisador conta também que, além do preconceito sofrido pelos pais, professores e, mais tarde, pelos colegas de trabalho, o vespertino sofre de problemas psiquiátricos com maior frequência: depressão, bipolaridade, hiperatividade, déficit de atenção são os mais comuns. Além disso, a privação do sono profundo, quando sonhamos, faz com que a pessoa tenha maior susceptibilidade a vários problemas de saúde: no sistema nervoso, endócrino, renal, cardiovascular, imunológico, digestivo, além do comportamento sexual.
O tratamento não envolve apenas remédios indutores do sono, como se fosse uma insônia comum. É necessária uma terapia comportamental complexa, numa tentativa de mudar o hábito, procurando antecipar o horário do sono. Envolve estímulo de luz, atividades físicas durante a manhã e principalmente um trabalho de reeducação.
E as pessoas que têm o hábito de acordar às 4 ou 5 horas da manhã? “O lado oposto do vespertino é o que a gente chama de avanço de fase. Só que esse não tem o problema maior no sentido social. Ele está mais adaptado aos ritmos sociais e profissionais. Os meus pacientes deste tipo têm orgulho, já ouvi mais de uma vez eles dizendo ‘Deus ajuda quem cedo madruga’”, diz o neurologista. 

Fonte: Revista Galileu
Ontem eu já avisei ao meu pai, "Não sou 'vagabundo', tenho distúrbio do sono atrasado, é diferente". Agora que ele já está ciente, eu posso continuar dormindo tranquila. Bom dia, pra vocês, vou voltar a dormir, pois ainda não é meio-dia. :P

Mas falando sério agora, talvez eu até tenha isso já que tem dias que durmo tarde e acordo cedo de mais, outros durmo cedo e acordo tarde, é uma loucura. Eu to fazendo o possível pra mudar isso dormindo sempre cedo pra acordar cedo também! :)

Contador de acessosdescobriram que têm distúrbio do sono atrasado!

Deixaram recados na parede do Toalete:
4 comentários:

  1. Hahahaha!! Adoreeeei esta amiga!!!! Menina, então eu tenho MUITO este "DSA" porque durante a semana eu até levanto né(obrigatório) pra trabalhar, estudar, enfim, mas se pudesse ficaria durmindo até mais tarde mesmo e no sábado não há quem me tire da cama antes do meio dia, eu digo que tô sempre com sono atrasado e também tenho mania de sempre quando acordo ficar contando quantas horas de sono tive para saber se terei um dia péssimo(não existo quando durmo mal ou pouco,rs) ou não, rs. Esquisito né? Pois é, cada louco com a sua mania mesmo! Rs.
    Ahhh, tu me ligou marida? hahaha
    Eu não tava podendo atender!!!!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. kkkk Já eu tenho!!!
    siiim eu te liguei pra saber se a Camila estava em casa, mas aí já flei com ela e resolvi ^^
    bjsss maridaaa sumidaaaa rsrs

    ResponderExcluir
  3. Ah!! Eu com certeza tenho esse disturbio! Sem dúvida!! hehe

    ResponderExcluir
  4. Otima matéria! Fui diagnosticado por este dr. Luciano. Meu grande conflito é com a vida social em geral, para ser mais exato o trabalho!

    Um beijao a todos!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...